Filiações

Campanha de Sindicalização

O SINDICATO É O INSTRUMENTO DE LUTA DOS TRABALHADORES

    Se você ainda não está sindicalizado (a), procure o sindicato, faça parte deste meio de luta por dignidade no trabalho. A valorização dos trabalhadores, verdadeiros produtores da riqueza do país, depende da união de classe e do fortalecimento do sindicato.
    Não perca tempo procure o sindicato e venha conosco construir mais essa história de luta!

O Que é um sindicato?

   Sindicato é a Associação de trabalhadores pertencentes a uma mesma categoria profissional ou de empresas/entidades de um mesmo ramo de atividades. Esses grupos (de trabalhadores) têm o direito, garantido por lei (CLT, art. 511), de criar o seu sindicato, organizando, dessa forma, a categoria representada.

   A palavra sindicato tem raízes no latim e no grego. No latim, “sindicus” denominava o “procurador escolhido para defender os direitos de uma corporação”; no grego, “syn-dicos” é aquele que defende a justiça.

O Sindicato está sempre associado à noção de defesa com justiça de uma determinada coletividade. É uma associação estável e permanente de trabalhadores que se unem a partir da constatação de problemas e necessidades comuns.

   A matriz histórica da organização sindical atual surgiu sintonizada com o desenvolvimento industrial, que tem por base a “Revolução Industrial” na Inglaterra no final do século XVIII e começo do século XIX. Ali nascia o capitalismo atual, ali nasceu o sindicalismo. Mas se o berço do sindicalismo é industrial, isso não foi limitação a sua expansão para outros setores da economia. Podemos dizer que o sindicalismo é o sistema de organização político-social dos trabalhadores, tanto urbano-industrial como rurais e de serviços.

   Em seus duzentos anos de história, o sindicalismo foi impactado por diferentes concepções ideológicas e teorias de ação, o que permitiu a construção de uma tipologia bastante ampla, assim como expressões políticas e históricas: anarquista, socialista, reformista, comunista, populista etc. O importante, no entanto, é que, ao longo dos anos, o movimento sindical - conjunto de práticas sociais dos sindicatos com características próprias de cada país, adquiriu um peso social e uma força decisiva nos contextos nacionais.

   Como movimento social, o sindicalismo não é estático, está constantemente transformando-se e criando novas formas de organização e ação. Nas sociedades atuais dos países em industrialização, a teoria e a ação sindical estão diante de significativos e novos desafios devido à emergência rápida de novos atores sociais, tanto no campo como nas cidades, e as transformações da economia e das instituições.

Fonte: O Original, abr/mai/jun 2001 - no. 50.

Para que serve o sindicato?

   Só o Sindicato da categoria é que possui legalmente algumas prerrogativas (atribuições exclusivas). Elas estão mencionadas no art. 513 da CLT e são as seguintes:

a) representar os interesses da categoria perante autoridades administrativas (prefeituras, governadores, secretários de estado e municipais, delegados regionais do trabalho etc) e judiciários (presidentes dos tribunais e juízes em geral);
b) celebrar convenções coletivas de trabalho;
c) eleger ou designar os representantes da categoria respectiva ou profissão liberal;
d) colaborar com o estado, como órgãos técnicos e consultivos, no estado e solução dos problemas que se relacionam com a respectiva categoria ou profissão liberal;
e) impor contribuições a todos aqueles que participam das categorias ou profissões liberais representadas;
f) fundar e manter agências de colocação (sindicatos de empregados).

Por que fazer parte de um sindicato?

   O modelo de sociedade hoje vigente tende a desvalorizar o papel do trabalho, enquanto pilar essencial da mesma.
   Perante ofensivas sistemáticas aos direitos dos trabalhadores, só a sua união poderá permitir a manutenção dos direitos já adquiridos e a reivindicação de melhores condições sociais.